• info@travelporto.com

Coisas que não há que há

Coisas que não há que há

Artigo original

Uma das muitas qualidades da poesia de Manuel António Pina é a sua musicalidade. Coisas que não há que há nasceu precisamente do desejo do Coro Lira dar voz a essa virtude, convidando dez compositores contemporâneos a musicarem outros tantos poemas de Pina para um coro de vozes infantis e juvenis. O Teatro do Frio juntou-se-lhe depois no desenho e na construção da dramaturgia de um espetáculo, com direção artística de Catarina Lacerda e Raquel Couto, que, à boleia da essência lúdica, interrogativa e onírica da poesia em questão, brinca com os géneros, escalas e imaginários, ficando algures entre o concerto e o teatro físico. Intercetando partituras musicais, textuais e físicas, Coisas que não há que há traz a singular respiração do universo linguístico do poeta para a memória e vivência imaginada dos corpos.

admin

Leave a Reply