• info@travelporto.com

Eventos

Lafayette College Choir

O Lafayette College Choir, oriundo de Pennsylvania, E.U.A, vai realizar uma série de concertos em Portugal. Na quarta-feira, dia 5 de junho, o coro, acompanhado ao piano por Pat O’Connell e sob a direção da Maestrina Jennifer Kelly, vai interpretar um programa de música principalmente do século XX de compositores americanos. Este concerto que se realizará na Igreja de Nossa Senhora da Lapa, terá início às 21h30 e é de entrada livre.

Coisas que não há que há

Uma das muitas qualidades da poesia de Manuel António Pina é a sua musicalidade. Coisas que não há que há nasceu precisamente do desejo do Coro Lira dar voz a essa virtude, convidando dez compositores contemporâneos a musicarem outros tantos poemas de Pina para um coro de vozes infantis e juvenis. O Teatro do Frio juntou-se-lhe depois no desenho e na construção da dramaturgia de um espetáculo, com direção artística de Catarina Lacerda e Raquel Couto, que, à boleia da essência lúdica, interrogativa e onírica da poesia em questão, brinca com os géneros, escalas e imaginários, ficando algures entre o concerto e o teatro físico. Intercetando partituras musicais, textuais e físicas, Coisas que não há que há traz a singular respiração do universo linguístico do poeta para a memória e vivência imaginada dos corpos.

A Boda

São atores e colegas do desaparecido Teatro da Cornucópia e olham para esta encenação de A Boda, de Bertolt Brecht, como o segundo gesto de uma aposta na emancipação de um “novo” grupo em formação.
Nesta centenária peça de um ato, uma das suas primeiras, Brecht decanta na desagregação de uma célula familiar todo o conturbado fracasso do período pós-Primeira Guerra Mundial alemão. Os noivos e convidados de A Boda entregam-se a uma coreografia ilusória de papéis, atitudes e expectativas, mas cedo o verniz estala, “a mobília cerimonial” quebra, a “cola” que a segurava sendo falsa. Através do olhar quase indiscreto e comicamente cruel de Brecht, como se “a ideia fosse rir e fazer rir do sério”, o encenador Ricardo Aibéo viu a possibilidade de fazer, nesta altura precisa, uma espécie de “divertimento” que simultaneamente nos convida a perguntar “se é no conforto, na comodidade, no nosso pequenino espaço que devemos investir o nosso suor”.

Espécie de Trio

Desde que se juntaram em Espécie de Trio, estes três músicos têm vindo a explorar e descobrir tanto o repertório jazzístico como temas originais, ou arranjos próprios de temas dos mais diversos universos musicais. Com um novo repertório constituído exclusivamente por canções dos anos 70 e 80 arranjadas à sua moda, fazem uma espécie de volta às origens – foi a tocar versões que iniciaram, há mais de uma década, a sua caminhada em trio. As músicas falam de sobrevivência, de solidão, de amor, de viver sem rumo, sem saber porquê, de necessidade de mudança, de libertação, de basta! Temas pop, rock, folk ou de intervenção, escolhidos apenas segundo o gosto dos músicos e sem olhar a rótulos.

Pablo Picasso. Suite Vollard.

Pablo Picasso. Suite Vollard.: coleção de 100 gravuras estará pela primeira vez em exposição em Portugal, no Palácio das Artes.
A coleção de gravuras, considerada uma das mais importantes do século XX, foi criada para o marchand de arte Ambroise Vollard, mas devido à sua morte inesperada num acidente de carro, em julho de 1939, esperou vários anos até ser finalmente exibida ao público. Esta é por isso uma oportunidade rara de conhecer esta coleção completa do artista espanhol, que apenas alguns museus do mundo detêm, nomeadamente o National Gallery em Washington, o British Museum em Londres, o MOMA em Nova Iorque e o Museu Nacional de Pablo Picasso em Paris.
No final da visita, como parte integrante da experiência e incluído no bilhete, a Taylor’s convida os visitantes adultos a provar um cálice de vinho do Porto no espaço Taylor’s Lounge, adjacente às salas da exposição.

Tota

Tota é o obtuso diminutivo de Jónatas Pereira. Define-se como trovador pós-moderno e criador irrequieto obcecado pela língua portuguesa. Suga inspiração de todas as coisas que lhe vão aparecendo nos ouvidos, nos olhos, na cabeça, na alma. Tota é um sistema aberto no que toca a referências musicais. O seu espectro musical abrange cantautores, repertório erudito, música electrónica e coros femininos búlgaros. Acredita que ainda tem muito a aprender com ABBA e nunca está sintonizado numa só estação.